terça-feira, 13 de março de 2007

A Outra

Ela chega sem ser convidada, me beija sem saber o nome do meu cachorro, do meu passado e muito menos do meu futuro.
Ela me abraça como se estivesse implorando por amores.
Sem pedir permissão ela deita nos meus braços, tomando seu lugar, e eu lhe falei do incomodo que estava sentindo (nunca vi uma cabeça oca pesar tanto), mas ela nunca vai saber que eu poderia te agüentar em meus braços por toda a minha vida, com a leveza que você me dá.
Ela quer dormir na minha cama comigo,mas minha cama é solteirão king-size, não cabem duas pessoas, sou espaçoso. Coloquei-a para dormir na bicama, disse que eu chutava, empurrava, roncava, mas ela nunca vai saber que eu queria dormir abraçado com você, ela não sabe a tranqüilidade que você me dá.
Ela me acaricia enquanto eu durmo, mas ela nunca vai saber que eu prefiro te acariciar, para não perder nenhum minuto do seu sono.
De manha, nos cumprimentamos com um bom dia educado e nos levantamos, mas ela nunca vai saber que eu poderia ficar deitado à manha toda vendo sua beleza e dizendo “bom dia, amor” “casa comigo?”. Hoje não tomei café da manha, mas ela nunca vai saber que se você quisesse nós poderíamos tomar café da manha juntos na cama.
Ela nunca vai saber, por mais que ela leia meus textos, por mais romântico que seja meu beijo, por mais românticos que nós possamos ser, ela nunca vai saber.
Ela nunca será você, ela jamais terá seu sorriso disfarçando a dor, ela jamais ira dizer no silencio do meu quarto “você me ama?” “vamos ficar juntos ate os 64 anos?”, mas ela nunca vai saber, nunquinha.
Ela não sabe como é bom e angustiante ficar juntos em silencio, ela não sabe ser tão linda, mesmo cantando Roberto Carlos... ela nunca vai saber o verdadeiro gosto de um mm’s vermelho, mas você sabe, só você.
E quanto a ela? Puft, me encheu de mensagens de texto, descarregou minha bateria com ligações que nunca foram atendidas, encheu minha caixa de e-mails (e minha paciência) porem a única coisa que eu pude dizer para ela foi à mesma coisa que você me disse “adeus, passar bem!”
Não poderia deixar de dizer que fiz esse texto apenas para que você sinta que me perdeu, fique triste, sentindo o vazio enorme que te deixei e assim, quem sabe, nós poderíamos ficar juntos novamente, afinal de contas todas as vezes que me mostro independente e seguro é apenas para que você fique mal e se sinta metade sem mim (assim como eu me sinto sem você).
E isso ela nunca vai saber, N-U-N-Q-U-I-N-H-A.

Thiago Eury

3 comentários:

rebeca disse...

teus textos tão cada vez melhor po. :) beijo

Sthevan disse...

Ela nunca vai saber.
Ninguém quer que ela saiba.
O ninguém é alguém, assim como ela.

=)

Se cuida.

Crisley disse...

UAU, teus textos são ÓTIMO pô!! PARABENS ;)