domingo, 18 de março de 2007

iô-iô

Foi no dia 02 de maio de 2006, um dia após seu aniversário que seu amigo nos apresentou, talvez como um presentinho de aniversário, mas logo me avisaram “cuidado, ela é incapaz de amar qualquer pessoa que não seja ela mesma” ,então porque não me divertir com ela? Porque eu iria por romance se tudo que todos tem é apenas sexo casual? Mas eu me envolvi não pelo seu coração,queria deixar isso claro, eu me envolvi pelos seus olhos, pelo seu corpo, pela insinuação de sexo fácil, não é assim que você faz as pessoas gostarem de você? Se não é transando com elas, talvez uma insinuadinha não prejudique.
Você é em todos os aspectos uma pessoa desesperadamente insegura, que precisa ser amada, não amor de verdade, e sim aqueles amores, que duram 3 ou 4 horas, até satisfazer suas vontades carnais.
Envolvendo e me afastando, feito um iô-iô me perdi na minha própria brincadeira.
Desesperado feito uma criança que acaba de quebrar seu brinquedo favorito, eu chorei, chorei durante dias, meses..chorei até quando não sabia porque estava chorando.
E depois de tantos brinquedos que eu tive, nunca me esqueci daquele que era meu preferido que tinha ido embora no caminhão de lixo.
Mas hoje depois de algum tempo me recuperei, afinal de contas eu já tenho 20 e não mais os 19 anos que eu tinha quando amava um brinquedo, não tenho mais tempo para brincar com esses bonecos que falam, gritam, fingem, mas não sentem nada.
Ta na hora de se levantar, amar de verdade alguém que fale, grite, ate finja às vezes, mas que sinta muito pra recompensar.

Thiago Eury

3 comentários:

izabel disse...

Não sei não, mas acho que vinte tá perto demais de dezenove.

(L)
=*

(pessoa sumida do meu msn/blog e meios virtuais)

Rachel Bourbon disse...

ninguém te ama mais que eu.

Sthevan disse...

ação e nada mais